.

.

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Inflação castiga FGTS e trabalhador reclama

A disparada da inflação corrói, sem dó, os recursos dos trabalhadores depositados no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Para tentar recuperar as perdas, mesmo que uma parte delas, os sindicatos de diversas categorias estão movendo uma enxurrada de ações coletivas indenizatórias direcionadas à Caixa Econômica Federal, gestora do patrimônio, que, em dezembro de 2012, somava R$ 55,4 bilhões.

Os processos, que começam a abarrotar as varas de Justiça de todo o país, envolvem mais de 2 milhões de pessoas. Elas cobram a atualização dos valores depositados pelas empresas. Pelos cálculos do Instituto FGTS Fácil, como a remuneração do fundo é de apenas 3% ao ano, além da variação da Taxa Referencial (TR), e o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) ficou, em média, em 5,5% anuais na última década, os prejuízos chegam a pelo menos R$ 148,8 bilhões.

Todo trabalhador deve saber sobre dispensa e FGTS...


quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Movimentada a Semana do Idoso em Jundiaí

Chegando aos dias mais movimentados, a 16ª Semana Municipal do Idoso tem nesta quinta-feira (26) eventos como a música do Projeto Guri na unidade de saúde da família (USF) Rio Acima, o passeio pelo Parque Botânico da unidade básica (UBS) Eloy Chaves e o desfile do concurso de Miss e Mister Terceira Idade da UBS Retiro.

A programação envolve iniciativas de diversos setores do governo e da sociedade, somando 25 eventos em diversos bairros da cidade. Além de peças de teatro, fazem parte do roteiro apresentações musicais, caminhadas, palestras, concursos de beleza e muitas surpresas. Atividades estão programadas até 1º de outubro, Dia do Idoso.
Fonte: Portal Prefeitura Municipal de Jundiaí
A previsão indica que  233 mil vagas temporárias serão criadas neste final de ano. Assim, as pessoas que estão procurando emprego temporário já podem cadastrar currículos ou deixar nas lojas de departamentos, supermercados e outros, pois,  a procura está começando. A maioria das vagas oferecidas são no comércio varejista e serviços.

Para quem esta desempregado ou busca um primeiro emprego, uma das melhores dicas é dirigir-se primeiramente ao PAT da sua cidade, uma vez que a grande maioria das empresas e indústria utiliza esse serviço, que é gratuito ao cidadão, para buscar mão de obra.

Aproveite essa fase do ano e antecipe-se a seus concorrentes, distribua seus currículos, seja pessoalmente ou pela internet,  assim com certeza você terá mais chances de conquistar uma vaga temporária e quem sabe essa chance temporária acabe tornando-se um emprego efetivo na sua carteira de trabalho!

Abertas inscrições para cursos de línguas


A Prefeitura de Jundiaí, por meio da Secretaria de Educação, abre hoje (26) o período de inscrições para os interessados nos cursos de línguas estrangeiras – Inglês, Espanhol, Italiano e Francês.

As inscrições podem ser feitas pela internet, no endereço www.jundiai.sp.gov.br, ou no Complexo Educacional Argos, na avenida Dr. Cavalcanti, nº 396, Vila Arens, no Centro Municipal de Línguas Antonio Houaiss, de segunda a sexta-feira, nos seguintes horários: de segunda a quinta, das 8h às 18h, e sexta-feira, das 8h às 17h30.

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Mulheres negociam menos salário do que os homens, diz pesquisa

Segundo uma pesquisa do site de empregos Catho, 26,4% dos profissionais não aceitam a primeira proposta de salário quando recebem uma oferta de emprego. O número varia conforme o gênero e a situação no mercado de trabalho.

Dos entrevistados que rejeitaram a primeira proposta salarial, 36,1% são homens empregados e 24,1% mulheres na mesma situação. Os homens desempregados somam 27,6% e as mulheres sem emprego representam 17,4%.

Segundo Luís Testa, diretor de marketing da Catho, as mulheres aceitam mais facilmente as ofertas salariais por múltiplas razões. Uma delas é a competitividade do mercado de trabalho entre gêneros.

Mulher, vire a página!


Esta cartilha destina-se, primeiro, a informar às mulheres, de forma simples e direta, a dinâmica da violência de gênero e municiá-las com a lei. 

Ainda, mas não menos importante, destina-se à reflexão da comunidade sobre a violência contra a mulher.

Todo trabalhador deve saber sobre 13º ...


terça-feira, 24 de setembro de 2013

168 milhões de crianças ainda trabalham no mundo!

Os casos de trabalho infantil no mundo tiveram redução de um terço entre 2000 e 2013, segundo dados do estudo Medir o Progresso na Luta contra o Trabalho Infantil: Estimativas e Tendências divulgado, nesta segunda-feia (23), pela Organização Internacional do Trabalho (OIT). O número de crianças e adolescentes entre 5 e 17 anos trabalhando nos últimos 13 anos caiu de 246 milhões para 168 milhões.

Para a OIT, o avanço no combate ao trabalho infantil foi possível devido à intensificação de políticas públicas e da proteção social das crianças e dos adolescentes nos últimos anos, acompanhada pela adesão a convenções da organização e pela adoção de marcos legislativos sólidos no âmbito nacional. A instituição verificou que os maiores progressos na queda do uso desse tipo de mão de obra ocorreu entre 2008 e 2012.

Todo trabalhador deve saber sobre hora extra...

Fonte: TRT10

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Em sete anos, Lei Maria da Penha acumula 700 mil ações contra agressores

Rede Brasil Atual/Hylda Cavalcanti
Números expressivos mostram acerto da lei, mas não escondem os entraves que ainda impedem sua aplicação mais efetiva e universal.

Exatos sete anos após entrar em vigor, em 22 de setembro de 2006, a Lei Maria da Penha acumula perto de 700 mil procedimentos judiciais contra agressores de mulheres no Brasil, entre atendimentos, medidas de proteção e prisões, segundo levantamento do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Até março deste ano, data do último mapeamento, eram 677.987 ações. O CNJ não tem dados atualizados sobre quantas dessas viraram efetivamente processos criminais. A informação mais recente a esse respeito é de 2009, quando, de 400 mil casos, 80% (ou 330 mil) tinham seguido adiante na Justiça, com quase 80 mil sentenças definitivas e nove mil  prisões provisórias ou em flagrante.

Expressivos, os números mostram o acerto da lei, mas não escondem que ainda há muito por fazer. As 80 mil sentenças definitivas correspondem a apenas 20% casos registrados até 2009. E as prisões equivalem a pouco mais de 2%.

Em os entraves que impedem a aplicação mais efetiva e universal da lei, segundo quem lida diretamente com o tema, é a carência de varas e juizados especializados no atendimento a mulheres vítimas de violência. São 66 hoje em todo o país. Para o CNJ, deveriam ser pelo menos 120.

Já as Delegacias da Mulher, embora presentes em vários municípios, geralmente não têm estrutura adequada de atendimento, como equipes multidisciplinares (psicólogos, médicos, assistentes sociais) e funcionamento 24 horas.

“Temos delegacias especializadas em todo o país, mas muitas ficam fechadas nos finais de semana e à noite, horários em que as mulheres mais precisam ter referências sobre aonde ir”, relatou a secretária de Segurança Pública do Ministério da Justiça, Regina Miki, para quem ainda há muito a fortalecer no sistema de proteção à mulher.

Além disso, as instituições diretamente ligadas ao tema detectam falta de agilidade na decretação das medidas de proteção – como obrigação de que determinado homem se mantenha a certa distância da vítima.

Saiba ainda mais...

Novela do Fator Previdenciário continua...

Diário do Litoral 23set2013

23 Set - Dia Internacional Contra a Exploração Sexual e o Tráfico de Mulheres e Crianças


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...