.

.

sexta-feira, 19 de março de 2010

Marcha de Mulheres

A 3ª Ação Internacional da Marcha Mundial de Mulheres - MMM termina hoje diante do estádio do Pacaembu. O ato politico de encerramento acontece a partir das 14h.

Por dez dias, cerca de três mil manifestantes de diversas etnias, orientação sexual e de todos os estados do País vivenciaram lições de solidariedade ao caminhar, comer, dormir e acordar lado-a-lado para defender uma sociedade com direitos iguais para homens e mulheres. 

Com o tema "Seguiremos em marcha até que sejamos todas livres", a jornada deixou Campinas em 8 de março e passou por Valinhos, Vinhedo, Louveira, Jundiaí, Várzea Paulista, Cajamar, Jordanésia, Perus e Osasco defendendo a autonomia econômica das mulheres, o acesso a bens comuns e serviços públicos, a paz e a desmilitarização, além do fim da volência contra as mulheres. 

Durante o trajeto de cerca de 100 km, foram discutidos temas como economia solidária e feminista, educação não sexista e não racista, soberania alimentar e a maternidade como decisão e não como destino.

Agência Cut

Mulheres em pauta - Ed. 68 - SPM

CGTB contra FGTS na Bolsa

A Central Geral dos Trabalhadores do Brasil - CGTB acredita que o dinheiro do Fundo de Garantia deve ser destinado ao que estabelece a lei, especialmente no saneamento básico e na construção civil. Utilizar recursos do Fundo para comprar ações põe em risco o dinheiro do trabalhador – já que o mercado de capitais tem altos e baixos – e ajuda a alimentar a ciranda financeira.

Agência Sindical

quinta-feira, 18 de março de 2010

Classe "D" em ascenção

Antes ignorada pelo mundo dos negócios, a classe D virou a menina dos olhos dos empreendedores. Resultado da recente mobilidade social, para cima, a classe D reúne cerca de 22 milhões de famílias. Sonho dos integrantes da classe D: computador, celular e, claro, automóvel

terça-feira, 16 de março de 2010

Poupador tem até dia 31 de março para ação contra Plano Collor 1

Os poupadores que alegam ter sofrido perdas decorrentes do Plano Collor 1 têm até o dia 31 de março para entrar com ações na Justiça cobrando ressarcimento. Depois desta data, não será mais possível recorrer judicialmente porque terá ocorrido a prescrição.

segunda-feira, 15 de março de 2010

Horas Extras sonegadas

Nada menos que R$ 20,3 bilhões de horas extras não estão sendo pagas aos trabalhadores brasileiros. O número foi estimado pela Secretaria de Inspeção do Trabalho com base no Relatório Anual de Informações Sociais (Rais).

Segundo os técnicos da secretaria, ao deixar de registrar o trabalho adicional dos seus empregados, as empresas também prejudicam a Previdência Social e o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) cujos recursos, enquanto não utilizados pelo trabalhador, são usados pelo governo para o financiamento do saneamento básico e da casa própria para as famílias de baixa renda.

Pelos cálculos do governo, a sonegação à Previdência Social pode chegar a R$ 4,1 bilhões. Outros R$ 1,6 bilhão são devidos ao FGTS. Somadas, as horas extras trabalhadas e não pagas no Brasil equivalem à carga horária correspondente a 956,8 mil empregos, que poderiam ser gerados em lugar do trabalho extra não remunerado. Esse volume de emprego é superior ao saldo líquido de vagas ofertadas em todo o ano passado. Em 2009, o mercado de trabalho foi capaz de criar 995.110 postos com carteira assinada.

Para evitar que os empregados continuem trabalhando de graça para as empresas, o Ministério do Trabalho publicou em agosto passado a Portaria 1.510, que busca regulamentar o registro eletrônico de ponto e a utilização do Sistema de Registro Eletrônico de Ponto pelas empresas. Agência Diap
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...