.

.

sexta-feira, 6 de março de 2009

25.395 acessos à página principal do SEAAC na web em 2008

O portal do SEAAC Jundiaí contabilizou 25.395 acessos à sua página principal na web, em 2008, uma média de 69 acessos por dia (dados computados pela Web Designers Associados, empresa que administra a hospedagem do sítio). O portal tem como objetivo estreitar a relação entre a entidade, associados e trabalhadores, mantendo as categorias que representamos informadas sobre o que acontece na área do trabalho.


A página principal publica informações sobre as ações que estão sendo realizadas pelo Sindicato, um box com as principais notícias no Brasil e no mundo, além das chamadas para os assuntos publicados aqui no “Ao Pé da Orelha”, editorial e previsão do tempo. Nosso sítio é um ótimo instrumento para que os trabalhadores se mantenham atualizados, ao mesmo tempo em que promove o intercâmbio de idéias entre o sindicato e associados.

Serviços - Nosso sítio publica informações institucionais, relação dos serviços prestados, relação de convênios que a entidade mantém com serviços e comércio, convenções coletivas dos últimos cinco anos para consulta, download do seu informativo impresso, formulários para que os aassociados ou as contabilidades ou empresas parceiras possam atualizar seu cadastro, para que os interessados possam associar-se ao Sindicato ou enviar seu currículo. No Observador, o navegador encontra várias matérias sobre trabalho, saúde, assuntos diversos e femininos, que podem esclarecer inúmeras dúvidas. E tem também links de interesse dos trabalhadores. Sempre atualizado, nosso portal e blog são ferramentas de comunicação rápida e ágil entre o Sindicato, os trabalhadores e a sociedade. É o SEAAC trabalhando por você!

Como o movimento sindical atua no processo legislativo

Dia 4/3 as comissões permanentes da Câmara e do Senado elegerem seus respectivos presidentes e vices-presidentes, um mês depois da eleição dos presidentes das duas casas do Congresso. Todas as proposições de deputados e senadores e também as externas, aquelas apresentadas por outros Poderes passam primeiro pelas comissões, por isso os órgãos decisórios são fundamentais para o processo legislativo.

Intervenção do Movimento Sindical
É na comissão que o movimento sindical pode intervir efetivamente no processo legislativo. As comissões temáticas atuam no sentido de aperfeiçoar as proposições formuladas pelos congressistas, outros poderes e até entidades dos movimentos sociais, no caso, a Comissão de Legislação Participativa da Câmara ou do Senado.

É nesse momento que o dirigente sindical pode pedir para distribuir essa ou aquela proposição para o deputado ou senador que tem mais afinidade com a matéria; pode pedir para retirar ou incluir matéria na pauta. Pode conversar com o presidente do colegiado, com os autores das proposições, com o relator e demais membros do grupo temático, a fim de viabilizar seu pleito.

Enfim, é na comissão que os movimentos sociais, em geral e o sindical, em particular, podem atuar no sentido de fazer valer seus interesses contra ou a favor às proposições em discussão no Legislativo Federal.
Agência Diap

quinta-feira, 5 de março de 2009

Número de mulheres empregadas aumenta, salários continuam menores

Apesar da presença das mulheres no mercado de trabalho ter crescido 56,4% em 2008, os salários das trabalhadoras não seguem o preceito estabelecido pela Constituição Federal que reza a igualdade salarial. Na região metropolitana de São Paulo, o rendimento médio por hora das mulheres caiu 0,9% no ano passado, enquanto o dos homens aumentou 1%, conforme divulgou dia 4/3 a pesquisa Mulher e Trabalho, realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioecnômicos (Dieese) e Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados de São Paulo (Seade).
Agência BRasil

Empresas brasileiras demitem por precaução e não por crise, diz Ipea

As empresas brasileiras estão demitindo pelo temor de que a situação da economia se agrave e não necessariamente por estar enfrentando dificuldades provocadas pela crise financeira internacional, segundo análise do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - Ipea. A velocidade com que as indústrias têm demitido funcionários e reduzido produção "não parece ser totalmente explicada pelas dificuldades no mercado de crédito", afirma o estudo.
Leia a íntegra: Agência Diap

quarta-feira, 4 de março de 2009

Mulheres da CGTB preparam encontro

A primeira reunião preparatória ao Encontro Estadual da Mulher Trabalhadora da CGTB-SP, realizada na semana passada, aprovou a data do evento (24 e 25 de abril) e os principais temas: acesso ao mercado de trabalho, saúde da mulher trabalhadora, luta por melhores condições de trabalho para mulheres do campo e a organização das mulheres.

Para a secretária dos Direitos da Mulher da CGTB-SP e presidente do SEAAC de Jundiaí, Maria Aparecida Feliciani, “o encontro será uma oportunidade ampliar o papel da mulher nas organizações sindicais, troca de experiências, e com isso fortalecer a CGTB e os sindicatos”.

A reunião contou com a participação do presidente da CGTB-SP, Paulo Sabóia, além de outros dirigentes de sindicatos filiados à central. O Encontro Estadual será também uma preparação das trabalhadoras paulistas para o Encontro Nacional da Mulher Trabalhadora da CGTB, que será realizado no início do segundo semestre.

378 homens públicos brasileiros respondem a processo no STF

Neste momento, 378 homens públicos brasileiros respondem a processo no Supremo Tribunal Federal. Isso quer dizer que mais da metade dos 594 parlamentares e dos 35 ministros estão respondendo a processos na Justiça. São deputados, senadores e ministros que têm a chamada “prerrogativa de foro” - ou seja, o direito de responder a processos perante o Supremo Tribunal Federal e não perante a Justiça em seus Estados. São 275 inquéritos e 103 ações penais em acusações de desvio de dinheiro público, crimes de reponsabilidade, crimes contra o Sistema Financeiro e fraude em licitação. O levantamento foi feito pelo STF.
Fonte: Blog Cristina Lôbo

terça-feira, 3 de março de 2009

78% dos juízes trabalhistas são contra demissão imotivada

Pesquisa de opinião realizada entre juízes trabalhistas revela que as empresas que demitirem sem prestar contas à Justiça deverão enfrentar problemas. Segundo dados levantados pela Associação Nacional dos Magistrados do Trabalho (Anamatra), nada menos do que 78% dos juízes trabalhistas são contra a possibilidade de demissão imotivada. A pesquisa mostra ainda que os juízes são favoráveis ao fortalecimento dos sindicatos e rechaçam o livre funcionamento do mercado de trabalho, além de serem contra as restrições criadas pela nova lei de falências à sucessão do passivo trabalhista.
Agência Diap

segunda-feira, 2 de março de 2009

Folha desperdiça pauta para falar mal do Sindicalismo

Oportuno o artigo publicado por Bernardo Joffily, no Agência Diap a respeito da matéria de capa da Folha de SP. Veja um trecho:
Ter uma boa pauta e fazer o dever de casa nem sempre produz uma boa matéria jornalística. Um exemplo é manchete da Folha de S.Paulo deste domingo (1º) - "Crise revela despreparo de sindicatos". A matéria das jornalistas Fátima Fernandes e Claudia Rolli ouviu gente que entende de sindicalismo, porém parece que não escutou o que têm a dizer. Sua conclusão é a que deve ter sido encomendada pelo pauteiro: as centrais são "despreparadas", "enferrujadas", "atreladas ao Governo Lula"... e ganham dinheiro demais.

O resultado foi uma reportagem que não cumpre o que promete na manchete: "Crise revela". O tema parece estar sendo visto através de binóculos ao contrário, em que mal se consegue distinguir os personagens e muito menos o cenário. As declarações entre aspas parecem escolhidas a dedo para expressar, não a essência do que pensa o entrevistado, mas as teses preconcebidas pela pauta.
Leia a íntegra: Agência Diap

8 de Março - Dia Internacional da Mulher

Hoje, a mulher não resume sua vida aos afazeres domésticos; ao contrário, encara o mercado de trabalho e a competitividade em todas as áreas, provendo seu sustento e em muitos casos até o de sua família.

Está envolvida em questões de governabilidade e processos decisórios; ética ambiental e responsabilidade; militarismo; assuntos econômicos globais como comércio e dívida externa; pobreza, direitos sobre a terra e segurança alimentar; os direitos das mulheres, saúde reprodutiva e meio ambiente; biodiversidade e biotecnologia; energia; ciência e tecnologia; o poder das mulheres como consumidoras; informação e educação, tudo para buscar uma qualidade de vida melhor e mais humana.

As mulheres EAA (empregadas de agentes autônomos) também participam ativamente da construção de uma nova ordem mundial onde todos os princípios e direitos sejam iguais para todos!

Centrais unidas em defesa do emprego e renda

As Centrais Sindicais vão se mobilizar dia 27 de março, quando haverá um ato internacional em defesa do emprego e renda.

A pressão das centrais sindicais sobre o governo Lula para redução de juros revela que as representantes dos trabalhadores estão unidas para tentar amenizar o impacto da crise na economia brasileira.
Ações como a realização de greve geral de 24 horas e a pressão sobre o governo para criação de medida provisória que garanta estabilidade no emprego e para fazer as reformas tributária, política e sindical estão nas agendas das centrais.
Fonte: Folha de SP
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...